Governo divulga tabela de gastos com propaganda


BRASÍLIA - O governo tornou pública a tabela de gastos com publicidade, uma iniciativa inédita que vai oferecer ao cidadão a oportunidade de conferir quanto foi gasto em propaganda nos últimos anos. A tabela pode ser conferida, na Internet, no endereço: www.presidencia.gov.br/secom.

No ano passado, foram gastos R$ 563.604.446,71. Em 2002, os gastos foram maiores e somam R$ 643.372.599,54 na administração direta, como ministérios, e indireta, que são as estatais. Os dados não incluem publicidade legal, produção e patrocínio. Um dos fatores dessa redução, segundo o ministro Luiz Gushiken, da Secretaria de Comunicação de Governo e Gestão Estratégica, foi uma economia solicitada pelo presidente da República a todos os órgãos do governo.

“Passamos por um ano atípico. Passamos por contingenciamento, isso obrigou um certo freio dos recursos disponíveis”, afirmou. Além disso, segundo ele, o governo se preocupa também em aplicar corretamente o recurso em publicidade. “Somos obrigados a ter muito mais freio nos recursos porque não vendemos produto, não fazemos da publicidade uma maneira de convencer o usuário, como é uma empresa do mercado privado”, ressaltou.

O ministro disse que a divulgação da tabela é um direito da população. De acordo com ele, é obrigação do governo oferecer informações e é direito do povo saber o que está sendo feito. “É preciso que os órgãos da República se pautem pela transparência, ou seja, o povo tem o direito de saber exatamente aquilo que o governo faz com os recursos que são dele”, afirmou. “Apesar de ser simples, é a primeira vez na história desse país que a gente busca oferecer essa informação. Espero que isso contribua para esse princípio da transparência que deve existir na República”, acrescentou.

O ministro disse ainda que a publicidade do governo federal é regida por dois princípios básicos: o conteúdo tem que ser educativo e informativo. “Não podemos, com recursos de publicidade de governo, fazer promoção de um administrador público”, ressaltou.

A mídia que mais recebeu recursos foi a televisão (R$ 344.260.901,37) e a que recebeu menos foi para a utilização de outdoors (R$ 5.779.543,73). As estatais gastaram mais dinheiro com propaganda que os órgãos da administração direta. Foram gastos, respectivamente, R$ 420.705.484,52 e R$ 142.898.962,19.

Gushiken explicou que as estatais não têm o mesmo mecanismo do governo federal. “As estatais necessitam de recursos de publicidade para vender seus produtos, para comercializar bem seus produtos. Neste sentido, o movimento das estatais não é igual ao movimento da administração direta, do governo federal” afirmou.

Informações como gastos detalhados por veículo não foram divulgadas na tabela. O ministro disse que algumas informações não podem ser transmitidas até para zelar bem pelo recurso público. “Muitas coisas ligadas com negociação, com empresas de mídia, não podem ser objeto de informação pública, porque senão você acaba passando para uma empresa informações contrárias a interesses do próprio governo e, portanto, do povo”, acrescentou.


06/04/2004

Fonte: Agência Brasil

 

Avisos Licitações

21/02/2019

Prefeitura marca abertura de envelopes de licitação para reforma do antigo prédio do INSS

A Prefeitura de Criciúma agendou para a próxima segunda-feira (25), às...

21/02/2019

Licitação para obras do Centro Administrativo será aberta no início de 2020,diz Duarte Nogueira

O prefeito Duarte Nogueira (PSDB) anunciou na manhã desta quinta-feira...

21/02/2019

Universidade brasileira abre licitação para contratar empresa de Blockchain

A Fundação Cearense de Pesquisa e Cultura (PCPC) abriu licitação para ...

21/02/2019

Definida abertura de licitação do antigo PAM

A Prefeitura de Criciúma agendou para a próxima segunda-feira (25), às...
Notícias Informativo de Licitações
Solicite Demonstração Gratuita