Porto de Paranaguá abre licitações de R$ 90 milhões


O superintendente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina, Eduardo Requião, anunciou, esta semana, a publicação de quatro editais de licitação para obras de melhorias no Porto de Paranaguá. Juntas, as concorrências somam mais de R$ 90 milhões e representam, segundo o ele, um salto importante nas melhorias planejadas para o terminal portuário.
O superintendente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina, Eduardo Requião, anunciou, esta semana, a publicação de quatro editais de licitação para obras de melhorias no Porto de Paranaguá. Juntas, as concorrências somam mais de R$ 90 milhões e representam, segundo o ele, um salto importante nas melhorias planejadas para o terminal portuário. “Oferecemos aos mercados nacional e internacional um Porto com as melhores condições de logística que possuímos. Para alavancar esta condição, projetamos obras que farão do terminal um canal de escoamento ainda melhor, sinônimo de qualidade operacional”, disse Eduardo Requião.
Entre os quatro editais de licitação publicados, está o que trata da instalação de infra-estrutura em retroportuária na Vila da Madeira, num investimento de R$ 1,2 milhão, viabilizado pela autarquia.
A segunda licitação refere-se à construção de um novo armazém graneleiro com capacidade para 107,8 mil toneladas. A nova estrutura, orçada em mais de R$ 39,2 milhões, pagos com recursos próprios da Appa, contará com dois novos tombadores com 25 metros de comprimento cada, que atenderão caminhões de grande porte, os chamados rodotrens. Também será instalada uma balança rodoviária com capacidade para até mil toneladas. Serão implantados, ainda, sistemas para aspiração de pó e para renovação do ar, contribuindo para a limpeza, segurança e saúde dos trabalhadores que atuarão no novo armazém.
No total, serão disponibilizadas 12 correias transportadoras e duas balanças de fluxo para atender 1,5 mil toneladas/hora. Se operar com duas linhas de expedição simultaneamente, o novo silo terá capacidade para embarque de 3 mil toneladas/hora.
O novo silo horizontal do Porto de Paranaguá será construído ao lado do silo vertical, o conhecido silão, que tem capacidade para 100 mil toneladas. Segundo o superintendente da Appa, a exemplo do silão, o novo armazém irá operar com o fluxo de grãos, ou seja, a mercadoria que chegar ao porto deverá estar nominada para ser imediatamente embarcada.
O novo armazém ocupará a área localizada nas proximidades da pêra ferroviária e terá ligação direta com o Corredor de Exportação público, complexo que congrega terminais portuários público e privados, dedicado à exportação de granéis sólidos, como milho, soja e farelo.
A abertura da licitação acontecerá no dia 3 de fevereiro, às 14h, na sede da Appa. O edital estará disponível aos interessados de 3 de janeiro a 2 de fevereiro do ano que vem. A previsão é de que as obras que ampliarão a capacidade de recebimento, armazenagem e expedição do complexo público do Corredor de Exportação estejam prontas num prazo de 310 dias, a partir da publicação em ordem de serviço, emitida pela Appa.
Cais Oeste
Eduardo Requião destacou que, além dos editais de licitação das obras na Vila da Madeira e do novo silo graneleiro, já está na praça, também, a concorrência para execução de obras e serviços de ampliação e recuperação da infra-estrutura portuária, totalizando um investimento de mais de R$ 36,5 milhões.
A licitação desta primeira etapa compreende a remodelagem do cais comercial, com melhorias nos berços 201 e 202 (num total de 180 metros de extensão), 206, 207 e 208 (em 180 dos 400 metros existentes) e nos berços de atracação 212 e 213. Com a remodelagem dos berços, o cais terá capacidade para acomodar equipamentos de grande porte, como guindastes e trilhos para transporte de ship loaders (carregadores de navios). As melhorias na estrutura do cais também possibilitarão o aumento da profundidade, hoje com trechos de 8,7 metros, 10,7 metros e 12,7 metros. Com as obras, os berços poderão ser dragados e chegar a profundidades iguais de 13,7 metros.
Do orçamento total das obras, caberá ao governo federal uma participação de 80% dos investimentos, repassados através do Departamento Nacional de Infra-Estrutura Terrestre (DNIT). Os 20% restantes serão oriundos de recursos da própria Appa.
Área primária
Para concluir o rol de licitações anunciadas e finalizar a soma dos mais de R$ 90 milhões que serão investidos em melhorias no Porto, Eduardo Requião salientou as benfeitorias que serão feitas na área primária do terminal paranaense. A licitação, que tem um preço global máximo de mais de R$ 13,6 milhões, trata da execução de obras e serviços de reabilitação e melhoramento do sistema viário e administrativo internos da área primária.
As atividades compreendem os serviços de terraplenagem, pavimentação, drenagem, recuperação estrutural do cais, sinalização remanejamento de trilhos e armazéns que possam interferir na atividade portuária, entre outros. A licitação inclui, ainda, a construção de um edifício administrativo, que abrigará, além dos setores operacionais do porto, também órgãos oficias ligados à atividade portuária, como a Receita Federal.


29/12/2004

Fonte: Diário Popular

 

Curso Licitações

07/02/2023

Loteria Mineira publica edital de licitação para concessão da exploração de jogos

Foi publicado no Diário Oficial do Estado desta te...

08/02/2023

Câmara de Balneário Camboriú fará licitação para contratar agência de publicidade

A Câmara de Balneário Camboriú publicou na terça-f...

08/02/2023

Prefeitura abre nova licitação para reforma de prédio da Floriano Peixoto

Prefeitura abre nova licitação para reforma de pré...

08/02/2023

Pregão do Centro de Bilhetagem do transporte coletivo ficou para sexta-feira, 10/02

O pregão para a escolha do Centro de Bilhetagem El...
Notícias Informativo de Licitações
Solicite Demonstração Gratuita