Laboratório oficial pede mudança em licitações


Rio - A Lei n 8.666, que rege licitações de compras do setor público, foi duramente criticada por representantes do setor de fármacos e de medicamentos que participaram de debate no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Cerca de 30% dos volumes totais de insumos farmacêuticos adquiridos pelos laboratórios públicos, 18 em todo o País, são rejeitados por falta de qualidade, afirmou o presidente da Associação dos Laboratórios Farmacêuticos Oficiais do Brasil (Alfob), Carlos Alberto Pereira Gomes.
As compras governamentais são realizadas tendo como critério básico o menor preço de fornecimento, por meio de leilões. Grande parte dos insumos importados (85% do total) é proveniente da China e Índia, com baixos preços e sem compromisso com qualidade, disse Gomes. Segundo ele, o controle de qualidade do insumo só é feito depois, em testes nos laboratórios oficiais demandantes do insumo.
"A lei é um estímulo à revenda de insumos importados de baixa qualidade", afirmou Alberto Ramy Mansur, representante da Associação Brasileira das Indústrias de Química Fina .


24/08/2004

Fonte: Gazeta Mercantil

 

Avisos Licitações

07/10/2022

Cursos Presenciais - Nova Lei de Licitação e Contratação Pública

O Curso Presencial da Nova Lei de Licitação e Cont...

03/02/2023

Raquel Lyra abre nova licitação de R$ 303 milhões. Saiba para qual finalidade

O Governo do Estado abriu uma licitação de R$ 303....

02/02/2023

Lajeado publica chamamento público para revitalização e operação do Parque Histórico

O Executivo publicou no Diário Oficial o chamamen...
Notícias Informativo de Licitações
Solicite Demonstração Gratuita