Juiz apóia decisão de interromper licitação de presídio


O juiz federal Odilon de Oliveira considerou acertada a decisão da desembargadora do TRF3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região), Marli Ferreira, que paralisou até julho o processo de licitação do presídio federal em Campo Grande. Para o magistrado, a questão do presídio federal é urgente, mas isso não significa que os detentos possam ser instalados em local que prejudique sua saúde. Em sua opinião, a Prefeitura de Campo Grande, que abriu licitação para tratamento dos resíduos sólidos da Capital em usina geradora de energia, vai buscar a tecnologia ideal para evitar problemas ambientais e também à saúde dos detentos.
No ano passado, o MPF (Ministério Público Federal) entrou com ação contra a construção do presídio, alegando, entre outros fatores, a proximidade com o lixão. Odilon de Oliveira não aceitou os argumentos e determinou a continuidade do processo de licitação. Mais uma vez, o MPF recorreu, a desembargadora Marli Ferreira aceitou o recurso e determinou a suspensão de qualquer decisão relativa ao presídio. Hoje ela decidiu que o processo fica parado até julho, prazo dado à Prefeitura para resolver a questão do lixão.


11/05/2004

Fonte: Campo Grande News

 

Curso Licitações

31/01/2023

SEMDUH apresenta edital de licitação para contratar empresa de limpeza pública

Foi realizada, na manhã desta terça-feira (31), a ...

31/01/2023

Governo lança licitação para revitalização da orla de São Félix do Araguaia

A Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logísti...

31/01/2023

Licitação para melhorias em praça de Santa Maria é lançada; investimento será de quase R$ 103 mil

A Prefeitura de Santa Maria lançou, nesta terça-fe...
Notícias Informativo de Licitações
Solicite Demonstração Gratuita