Ex-diretor da ECT defende aditivo com agência de Valério


BRASÍLIA - O ex-diretor de Administração dos Correios Antônio Osório, que depõe neste momento na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito dos Correios, disse que não houve ilegalidade no aditivo do contrato publicitário assinado entre os Correios e a empresa SMP&B, de Marcos Valério, acusado pelo deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) de ser o principal operador do esquema de pagamento de 'mesadas' a deputados da base governista.
O valor do contrato era de R$ 72 milhões e passou para R$ 90 milhões depois do aditivo.
Osório lembrou que o aditivo é um recurso previsto pela Lei de Licitações (8666/93) e garantiu que não conhecia o empresário na época. O ex-diretor afirmou que as licitações eram feitas pelos órgãos técnicos da empresa e que ele e Maurício Marinho, seu subordinado, não tinham influência sobre o processo. Maurício Marinho foi chefe do Departamento de Contratação e Administração de Material dos Correios e foi filmado recebendo R$ 3 mil em propinas, episódio que provocou a instalação da CPMI.


12/07/2005

Fonte: Agência Câmara

 

Curso Licitações

13/06/2024

Curso On Line - Ao Vivo de Formação de Analista de Licitação e Contratação Pública

O Curso de formação Analista de Licitação ONLINE A...

15/03/2024

Cursos Presenciais - Nova Lei de Licitação e Contratação Pública - Florianópolis/SC

O Curso Presencial da Nova Lei de Licitação e Cont...

14/06/2024

Prefeitura de Araraquara lança licitação da segunda fase das obras na Via Expressa

A Prefeitura de Araraquara publicou, nesta quinta,...

13/06/2024

Licitação da obra da nova ponte entre São Valentim do Sul e Santa Tereza será aberta no dia 3 julho

A informação foi confirmada pelo prefeito de São V...
Notícias Informativo de Licitações
Solicite Demonstração Gratuita