Com atraso, tem início licitação para av. dos Bandeirantes


Depois de um ano e meio de promessas, atrasos e indefinições, foi lançada semanas atrás a licitação para ampliar a largura da avenida dos Bandeirantes, eliminar semáforos e criar na via as primeiras faixas exclusivas para caminhões da capital paulista -com expectativa de término às vésperas das eleições municipais de 2008.
As obras, parceria entre Estado e Prefeitura de São Paulo, devem começar no segundo semestre e, nos dez meses da reforma, haverá uma série de intervenções ao tráfego na área.
"Haverá um transtorno urbano razoável. Só os desvios de trânsito vão custar R$ 4 milhões [6% do valor da obra]", diz Thomaz de Aquino Nogueira Neto, presidente da Dersa, companhia estadual que receberá as propostas da concorrência pública no mês de maio.
A empresa prevê gastar R$ 63,3 milhões no pacote de obras na Bandeirantes -praticamente duas vezes a expectativa original, de R$ 30 milhões.
Estado e prefeitura, que bancará as desapropriações, alegam que a diferença de preços se deve ao aperfeiçoamento e à melhoria do projeto inicial, incluindo também as exigências do licenciamento ambiental.
A mesma justificativa é dada para a licitação ter atrasado e sido viabilizada só em abril.
As obras na Bandeirantes, um dos principais projetos viários das gestões José Serra (PSDB) e Gilberto Kassab (PFL), abrangem a ampliação das pistas, a criação de uma quinta faixa de rolamento e a separação das duas faixas de cada lado à esquerda para a circulação exclusiva de caminhões.
28 mil caminhões
Passam pela via hoje quase 250 mil veículos por dia, sendo 28 mil caminhões. Ela é uma das principais ligações urbanas para os veículos que se dirigem ao sistema Anchieta-Imigrantes -e ao porto de Santos.
A reforma é vista por muitos técnicos como um paliativo para a solução mais duradoura: a construção do trecho sul do Rodoanel, iniciada em 2006, paralisada em seguida, mas citada como uma das prioridades de médio prazo da gestão Serra.
Além da criação das faixas exclusivas para caminhões, as intervenções na Bandeirantes prevêem também a eliminação de três cruzamentos -no viaduto Santo Amaro, na rua João Carlos Mallet e na alameda Tupinás-, revitalizações paisagísticas e da geometria das pistas.
Monitoramento
O secretário municipal dos Transportes, Frederico Bussinger, diz que ela vai inaugurar um novo sistema de monitoramento do trânsito com câmeras e com painéis eletrônicos.
Ele afirma que a velocidade média nos picos vai saltar de 11 km/h para 25 km/h. Nega que a facilidade de circulação seja restrita aos caminhões. "O carro vai ter só três faixas, mas elas estarão mais livres", defende.
Veículos pesados que fazem entregas e precisam acessar vias próximas, porém, poderão escapar da faixa exclusiva.
O pacote de mudanças na Bandeirantes também previa uma segunda etapa de obras, com a construção de cinco viadutos e novas alças próximas ao aeroporto de Congonhas.
A Folha apurou, no entanto, que essa fase de obras é vista com incertezas pelo município e pelo Estado, que cogitam nem sequer levá-la adiante por conta dos custos -a estimativa inicial era de R$ 170 milhões- e do trecho sul do Rodoanel.


07/05/2007

Fonte: Folha de São Paulo

 

Curso Licitações

18/04/2024

Governo abre licitação para recuperar Morro da Serrinha

A Secretaria-Geral da Governadoria de Goiás (SSG) ...

18/04/2024

Governador assina ordem de licitação das obras do Aeroporto Regional nesta sexta

Após uma semana da entrega do projeto técnico de m...

18/04/2024

Licitação para Dragagem no Porto de Ilhéus é publicada no Diário Oficial da União

Foi publicado na edição desta quinta-feira (18) do...

18/04/2024

Licitação da duplicação do trecho urbano da 352 será publicada na semana que vem

A Prefeitura de Pará de Minas deve encaminhar para...
Notícias Informativo de Licitações
Solicite Demonstração Gratuita