Após licitação deserta, prefeitura estuda alternativas para reforma da UPA Santa Terezinha


A Prefeitura de Brusque estuda alternativas para realizar a reforma e readequação da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Santa Terezinha. Isso porque a licitação para contratar uma empresa para o serviço não teve apresentação de propostas das empresas.

O processo licitatório, que ocorreu na terça-feira, 28, foi considerado deserto. A secretária de Infraestrutura Estratégica, Andrea Volkmann, comenta que a pasta apura os motivos para a falta de interesse por parte das empresas.

Entre as possibilidades apuradas, a secretária explica que há chance das empresas não terem a qualificação técnica exigida no edital. No momento, a pasta realiza orçamento para ver se o preço também pode ter influenciado na ausência de empresas.

“Utilizamos as tabelas oficiais para lançar o edital. Acreditamos que pode ter alguma disparidade entre o privado e as tabelas oficiais para verificar quais providências tomar”, justifica.

A pasta também estuda a possibilidade de contratação direta. Com as avaliações do cenário em desenvolvimento, não há nova data para realização da licitação.

Atendimentos prejudicados
Sem a reforma, a inauguração da UPA Santa Terezinha deve acontecer apenas em 2022. O secretário de Saúde, Osvaldo Quirino de Souza explica que a abertura da UPA já foi adiada devido à pandemia.

“O prédio está pronto, só falta a estrutura”, garante o secretário. Ele destaca que o pagamento da reforma e readequação será custeado com recursos próprio do município e não do governo federal.

O pronto atendimento funcionará por 12 horas e será destinado aos moradores dos bairros além, é claro, do Santa Terezinha.

Como ainda não há atendimentos no local, a população do bairro é atendida na Unidade Básica de Saúde (UBS) Santa Terezinha.

“A ideia é que ela esteja ativa em 2022, mas depende de vários fatores que são alheios à vontade da pasta. Aparecendo uma empresa e conseguindo executar, o desejo é que no início do ano já iniciamos os atendimentos”, pontua.

Como será a reforma
A readequação da UPA Santa Terezinha foi aprovada pelo Ministério da Saúde em novembro de 2020. No entanto, entre o período de análise e aprovação do Ministério da Saúde, ocorreram situações de furto de fiação elétrica e vandalismo no local, ocasionado danos maiores. Por isso, a pasta optou para que seja realizada uma revisão completa na edificação para que todas as instalações sejam avaliadas.

Conforme publicado pelo jornal O Município, a reforma e a readequação acontecerão de forma paralela, pois a primeira etapa consiste na demolição de algumas paredes.

“Logo após, a reconstrução terá início, com a instalação de rede elétrica, hidráulica, gases medicinais e ventilação nos ambientes”, elenca a secretária. Depois disso, será realizada a etapa final com os acabamentos da obra.

Após a aprovação da reforma, o local contará com espaços para atendimentos específicos. “O município modificou as atuais estruturas para os novos usos aprovados. Serão eles o pronto atendimento geral, clínica da mulher e Serviço de Atenção Integral as Pessoas em Situação de Violência Sexual (SAVs)”, comenta.

Além da readequação, estão previstos os serviços de reforma da unidade. Andrea informa ainda que o cronograma da obra possui previsão de 18 meses para conclusão.


11/10/2021

Fonte: O Município

 

Curso Licitações
Notícias Informativo de Licitações
Solicite Demonstração Gratuita