Licitações : Pernambuco gira R$ 246 milhões


Recife - Rede Compras consegue uma economia de 20% no primeiro ano. O governo de Pernambuco está fechando com sucesso o primeiro ano de operações do seu sistema de leilões eletrônicos, o Rede Compras. A movimentação total vai ficar em torno dos R$ 246 milhões. A economia registrada ao longo de 2003 chega a 20% em relação às sistemáticas tradicionais de compras no setor público, como as licitações. Já foram realizados 100 pregões e outros 30 estão programados para este mês, quando a administração estadual também realizará a maior compra pela internet desde que o site foi criado, em janeiro passado: são R$ 158 milhões em medicamentos destinados aos 30 hospitais operados pelo estado.

"Para 2004, esperamos movimentação financeira muito superior, pois ampliaremos o leque de produtos cuja aquisição deve ser feita exclusivamente pelo www.redecompras.pe.gov.br", afirma o gerente de compras governamentais de Pernambuco, Fernando Cássio Rodrigues. Estão na lista atualmente equipamentos e suprimentos de informática, material de expediente e itens de higiene, limpeza e conservação. No próximo ano, entram no rol os medicamentos, fardamentos e veículos e acessórios.

Outra mudança prevista para 2004 é o incremento do número de fornecedores cadastrados. Hoje são 10 mil, somando-se os cadastros do ABN Amro Bank e Banco do Brasil (BB), parceiros do governo na operação do site. O ABN administra as compras on-line para a administração direta e o BB, as da indireta. "O Governo Federal tem 800 mil, e isso significa que o universo é muito maior do que o que temos disponível. Temos de expandir a lista, pois quanto mais fornecedores, maior a competitividade nos pregões, e isso se traduz em melhores condições de preço", analisa o gerente, sem estimar meta para o novo cadastro.

Ele avalia que, neste primeiro ano, todos os objetivos do Rede Compras foram atingidos. "O alvo é atingir maior transparência nas compras do Estado, reduzir custos e garantir um clima de competitividade entre os fornecedores. Tudo isso foi alcançado. Estamos obtendo economia média de 20% nos pregões, mas em alguns casos ela chega a 40%", contabiliza.

Já o pregão previsto para a área de medicamentos no próximo dia 19, às 8h da manhã, será o primeiro desse segmento no Rede Compras e servirá como teste para quando a aquisição de remédios pela internet passar a ser obrigatória na máquina estadual. Serão adquiridos 165 tipos de medicamentos e espera-se economia de R$ 30 milhões em relação a uma licitação tradicional.

O processo foi iniciado no dia 1 de dezembro, com a divulgação de um edital, publicado no site e nos jornais, além de enviado aos 300 fornecedores cadastrados de farmoquímicos do estado. Os vencedores assinarão em janeiro contrato para o fornecimento dos produtos durante um ano. Os volumes contratados serão entregues diretamente aos hospitais estaduais.


10/12/2003

Fonte: Gazeta Mercantil

 

Curso Licitações

17/02/2019

São Vicente pode ter sistema misto de transporte

A Cooperlotação, atual responsável pelo transporte público de São Vice...

15/02/2019

Prefeitura retoma obras e UPA Norte I deverá ser entregue em até 12 meses

A Prefeitura de Belo Horizonte abriu licitação para finalizar a implan...

16/02/2019

Codiub faz licitação para rotativo que será oferecido a outras cidades

Codiub vai abrir licitação para contratar empresa especializada em ges...

16/02/2019

Serviços de limpeza custarão até R$ 11 mi

A Prefeitura de Jaú abriu ontem a licitação para contratar a empresa r...
Notícias Informativo de Licitações
Solicite Demonstração Gratuita