Licitações Gratuitas Licitações Mobile Consulte nossos programas Solicite demonstração gratuita Solicite demonstração gratuita aqui Curso Licitações consulte nossos programas

02/03/2017

Curso OnLine - EAD de Impugnação e Recursos em Licitações

Com o objetivo de capacitar e aprimorar o profissional com conheciment...

24/04/2017

Curso de Licitações Públicas em Porto Alegre

Quer treinar sua equipe para obter melhores resultados nos processos d...

24/04/2017

Trabalho preventivo gera economia de mais de R$ 12,5 milhões em licitação da nova maternidade

A atuação preventiva dos auditores da Controladoria-Geral do Estado do...

25/04/2017

Seguro Saúde: Conselho cancela licitação por falta de interessados

O Conselho Regional de Administração de Santa Catarina (CRA/SC) cancel...

24/04/2017

Prefeitura de Óbidos abre licitação para serviço de transporte escolar

Será no próximo dia 28, no plenário da Câmara Municipal de Óbidos, no ...

Peru cria norma para evitar que empresas corruptas ganhem licitações


O governo peruano decretou normas de combate à corrupção, entre elas a desabilitação perpétua, chamada de "Morte Civil", para que as empresas envolvidas em escândalos de corrupção não ganhem contratos com o Estado.

"Não haverá mais corruptos trabalhando para o Estado. Já se pode estabelecer a desabilitação perpétua ou Morte Civil. Será requisito para trabalhar com o Estado e causal de destituição ter sido sentenciado por crime de corrupção ou admitido, como o caso da Odebrecht", disse a ministra da Justiça peruana, María Pérez Tello, em coletiva de imprensa de membros do gabinete, liderada pelo presidente do Conselho de Ministros, Fernando Zavala.

A Odebrecht não voltará a contratar obras com o Estado peruano por ter admitido praticar atos de corrupção, informou Zavala.

"Não vamos a contratar novos projetos com empresas sancionadas por atos de corrupção ou que tenham admitido participação nesses atos", afirmou o ministro.

"Esperamos que com essas medidas tenhamos uma barreira para os corruptos", emendou.

Outra medida é a proteção para o denunciante de atos de corrupção no Estado, a fim de fomentar e facilitar que qualquer pessoa que sabe de um ato de corrupção possa denunciá-lo.

Nesta quinta-feira, Zavala irá com ministros ao Congresso apresentar e defender as normas. O Parlamento poderá aprová-las, alterá-las ou rejeitá-las, segundo a Constituição.


10/01/2017

Fonte: Isto É Dinheiro

 



Avisos Licitações
Licitacao.net é um serviço de Business Online Comunicação de Dados Ltda. © 2012 Licitacao.net