SC economiza com pregão eletrônico


De maio até agosto, nos seus quatro primeiros meses de utilização, o pregão eletrônico rendeu uma economia de R$ 7,4 milhões aos cofres do Estado. A estimativa é do secretário de Administração de Santa Catarina, Marcos Vieira.

A Administração centraliza as aquisições de todos os organismos com a administração direta do governo. Foram adquiridos 750 itens, que custaram um total de R$ 37 milhões.

– Teríamos gasto pelo menos 20% a mais se continuássemos utilizando a licitação convencional –, acredita Vieira.

O pregão eletrônico, onde todas as empresas concorrentes dão seus lances via internet, funciona como uma espécie de leilão ao contrário. Instantaneamente, as empresas podem reduzir a oferta para o preço de um produto, a partir de um valor máximo estabelecido pelo governo do Estado.

O secretário diz que 25% das concorrências do Estado ainda ocorrem nos moldes tradicionais. São as que precisam de requisitos técnicos e quesitos mínimos necessários exigidos às empresas participantes. São as chamadas licitações tradicionais, como aquisições de máquinas de maior porte ou tecnologia mais avançada, projetos e obras.


22/09/2003

Fonte: ClicRBS

 

Curso Licitações

18/12/2018

Legislativo andreense reabre licitação para controle de acesso

A Câmara de Santo André oficializou a retomada de licitação que tem co...

18/12/2018

Beto Preto autoriza licitação de asfalto em mais quatro bairros

O Departamento de Compras e Licitação da Prefeitura de Apucarana já tr...

17/12/2018

CNPE autoriza licitações para áreas exploratórias de petróleo e gás natural

Em reunião realizada nesta segunda-feira, foi definido que as duas rod...

17/12/2018

Licitação para a implantação do teleférico de Juazeiro deve ocorrer neste mês

O turismo religioso que movimenta também a economia da Região do Carir...
Notícias Informativo de Licitações
Solicite Demonstração Gratuita