Licitações Gratuitas Licitações Mobile Consulte nossos programas Solicite demonstração gratuita Solicite demonstração gratuita aqui Curso Licitações consulte nossos programas

02/03/2017

Curso OnLine - EAD de Impugnação e Recursos em Licitações

Com o objetivo de capacitar e aprimorar o profissional com conheciment...

24/04/2017

Curso de Licitações Públicas em Porto Alegre

Quer treinar sua equipe para obter melhores resultados nos processos d...

24/04/2017

Trabalho preventivo gera economia de mais de R$ 12,5 milhões em licitação da nova maternidade

A atuação preventiva dos auditores da Controladoria-Geral do Estado do...

25/04/2017

Seguro Saúde: Conselho cancela licitação por falta de interessados

O Conselho Regional de Administração de Santa Catarina (CRA/SC) cancel...

24/04/2017

Prefeitura de Óbidos abre licitação para serviço de transporte escolar

Será no próximo dia 28, no plenário da Câmara Municipal de Óbidos, no ...

Governo vai cancelar contrato


O governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar (Sedraf), deve cancelar o contrato com a Construtora Panamericana Ltda., ganhadora da licitação para construção da nova sede da Empaer.

A empresa teria um prazo de 330 dias para concluir o empreendimento, mas a obra está paralisada. Em reunião com o Sindicato dos Trabalhadores da Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Pública de Mato Grosso (Sinterp) nesta quarta-feira (19), o titular da Sefraf, Luiz Carlos Alécio, afirmou que fará uma nova licitação para a obra.

Segundo ele, foi acordado com a categoria que a inauguração do novo prédio deve ocorrer no dia 15 de setembro, quando a Empaer completa 50 anos de existência.

Segundo Gilmar Brunetto, presidente do Sinterp, o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) já destinou recursos na ordem de R$ 5,2 milhões para a construção do prédio-sede.

AUDIÊNCIA PÚBLICA - Na tarde de hoje a Assembleia Legislativa deve debater a mensagem do Poder Executivo que possibilita a venda de áreas da Empaer que não estão em uso.

Conforme Brunetto, o sindicato deve brigar por duas questões durante a audiência pública. A primeira é levar a possibilidade de venda ao conselho da empresa, onde o Sinterp tem uma cadeira.

A segunda e mais complicada depende do apoio dos deputados estaduais, já que prevê “amarrar” o dinheiro arrecadado com a venda dos imóveis a investimentos em infraestrutura na Emaper.

O argumento do sindicato é que a estrutura de algumas sedes da empresa é tão debilitada que os servidores são obrigados a trabalhar em outros locais. As piores situações seriam em Acorizal e Jangada.


20/02/2014

Fonte: Diário de Cuiabá

 



Curso Licitações
Licitacao.net é um serviço de Business Online Comunicação de Dados Ltda. © 2012 Licitacao.net